O Mercado Central da cidade de Maputo reabriu oficialmente ao público na última sexta-feira depois de ter beneficiado de obras de reabilitação avaliadas em 116 milhões de meticais.

O mercado tem agora uma nova imagem e está modernizado depois de um ano e meio em que esteve a funcionar de forma condicionada. A reabilitação consistiu na substituição da cobertura do edifício principal que já estava totalmente danificado, a reabilitação das 378 bancas, construção do sistema de abastecimento de água e de energia eléctrica de modo a permitir a lavagem e conservação de produtos frescos em caso de necessidade.

Foram igualmente construídas 150 barracas para venda de produtos de mercearia, de beleza e de artesanato.

Simango apela aos vendedores a conservar o mercado.

O presidente do Conselho Municipal, David Simango, referiu que as obras tinham como principal objectivo oferecer conforto e comodidade aos mais de 500 vendedores do Mercado Central, bem como tornar as instalações mais atractivas aos visitantes, sobretudo para turistas estrangeiros, uma vez que é um dos locais mais visitados a nível da cidade de Maputo por se tratar de um mercado histórico.

David Simango lançou um forte apelo a todos vendedores no sentido de fazerem uso racional das instalações para permitir que o mercado não venha a precisar de obras de reabilitação num curto espaço de tempo.

O mercado conta, neste momento, com quatro sanitários e uma câmara frigorífica para conservação de produtos pesqueiro e hortícolas.