Trata-se da concretização de um plano iniciado há cerca de três anos, mas que não foi concluído antes devido as condições do terreno onde foi construída a linha de transporte daquele recurso, bem como das vias de acesso.

A ligação do Chinde à rede nacional de energia eléctrica vai permitir que a vila sede do distrito deixe de depender do grupo gerador que antes fornecia corrente aos poucos consumidores do distrito e garantia o funcionamento das poucas instituições que operam naquela vila, criada há 101 anos e que foi a primeira capital provincial da Zambézia.

Neste âmbito, foi construída uma linha de 77 quilómetros composta por 854 postes, 12 torres metálicas, três transformadores de 100 Quilovolts cada e mais de 100 candeeiros distribuídos pelo Posto Administrativo de Micaúne e na localidade de Madal, onde passa a infra-estrutura.

A linha parte do Posto Administrativo de Gonhane, no distrito de Inhassunge, prolonga-se até o Posto Administrativo de Mecaune, já no distrito de Chinde, onde foi instalado o primeiro transformador e 50 candeeiros.

Zambézia - Chinde último distrito ligado à rede nacional

O segundo transformador e outros 50 candeeiros foram montados na localidade de Madal, outro local por onde passava o traçado da linha antes de ser fixada na vila sede do distrito do Chinde, onde foram colocados os restantes candeeiros de iluminação pública e o último transformador.

As 12 torres metálicas foram montadas nas margens dos rios Abreu, Puxa-Puxa e Zambeze, três dos cinco cursos de água atravessados pela linha e cuja travessia permite o acesso à vila sede do distrito de Chinde.

A previsão é de que nos próximos dias mais um transformador de 250 Quilovolts seja instalado naquela vila para melhorar a qualidade de energia fornecida e permitir a ligação de novos clientes.

A ideia é criar condições para que a breve trecho o último Posto Administrativo daquele distrito, Luabo, também seja ligado à rede pública de energia eléctrica, tal como garantiu o director da Electricidade de Moçambique (EDM), Área Operacional de Zambézia, Manuel Fernando Anselmo.

A instalação da linha de energia eléctrica para Chinde foi efectuada pela companhia indiana Angelique International Limitada, entidade também responsável pela electrificação do distrito de Lugela, ainda na província da Zambézia, num financiamento do EXIM Bank da Índia que inclui a electrificação de quatro distritos na província de Inhambane e outros três em Nampula.

Opiniões de vários quadrantes do distrito indicam que a Angelique International Limitada terá feito um trabalho excelente ao electrificar Chinde a partir de Gonhane, quando se olha para as condições adversas na ligação entre estes dois pontos.