Falando na abertura da VII Reunião de Ministros de Turismo da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), Vaquina considerou o turismo uma indústria que desempenha um papel estratégico na promoção do desenvolvimento económico e social, através da geração do emprego, criação da renda, valorização do património histórico-cultural, promoção da unidade nacional e da auto-estima dos cidadãos, famílias e comunidades.

Para o governante moçambicano, o turismo é, ao mesmo tempo, um estímulo ao desenvolvimento das outras actividades económicas e sociais e culturais e um dinamizador de actividades economicamente rentáveis e sustentáveis, tais como a conservação, a agricultura, a pecuária, a pesca e o desenvolvimento de infra-estruturas económicas e sociais.

A reunião de Maputo, realiza-se sob o lema “Turismo: Gerando Renda, Emprego e Bem-Estar para a Comunidade” e tem como objectivo avaliar o desenvolvimento do turismo nos Estados-membros, apreciar a estratégia de cooperação da CPLP em matéria de Turismo, e a proposta de Acordo de Cooperação entre a CPLP e a Organização Mundial do Turismo.

 Vaquina convida privados a investir mais no turismo

A VI Reunião dos Ministros do Turismo da CPLP teve lugar em São Paulo, no Brasil, em 2010, onde os Estados-membros da comunidade assumiram o compromisso de criar um portal da CPLP e provê-lo de conteúdo visando facilitar a troca de informações e de conhecimento entre os países da comunidade nas áreas de promoção turística, oportunidades de investimento e formação profissional.

O referido encontro também deixou expressa a forte intenção de estreitar a cooperação técnica com a Organização Mundial do Turismo (OMT), considerando o carácter estratégico do turismo, no quadro geral da cooperação entre os Estados-membros da CPLP e entre estes e o resto do mundo, bem como o papel relevante que esta actividade pode desempenhar na elevação do padrão da vida das populações dos países de língua portuguesa através de uma participação cada vez mais relevante na economia e no bem-estar social por via da geração de mais postos de trabalho e riqueza.

O que se espera é que no encontro de Maputo os assuntos a serem tratados consolidem a convicção de que o turismo constitui hoje uma das principais plataformas sobre a qual assenta o desenvolvimento económico, social e cultural de qualquer país, no contexto da globalização.

Para além de Moçambique, são membros da CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Portugal, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau e Timor Leste.