Ana Matsena, comerciante de batata-reno disse à reportagem do “Notícias” ter perdido por apodrecimento cerca de 80 sacos de batata de 10 quilogramas cada, devido à falta de compradores, o que representa um grande desfalque.
Ela disse que no Mercado Grossista do Zimpeto não há muitos clientes, por isso que grande parte dos produtos frescos está a decompor, e deste modo os operadores estão a acumular prejuízos enormes.
Precisou que para não continuar a perder mais dinheiro, neste momento está a comercializar um saco de batata a 110 mil meticais, valor que nem chega para a  aquisição do tubérculo na machamba.
“Não há negócio aqui neste mercado. As pessoas não compram os produtos e acabam apodrecendo. Acho que há falta de dinheiro porque na quadra festiva finda o preço dos produtos não chegou a aumentar. Por exemplo, um saco de batata estava a ser vendido a 250 meticais e não chegou a subir, mas não compravam”, disse Matsena, tendo acrescentado que o tomate e a batata estão a ser vendidos a preço de oferta.
Alfredo Afonso, vendedor de tomate contou-nos ter perdido grandes quantidades daquele produto devido ao apodrecimento por falta de clientes e isso está a minar o seu negócio, sua única fonte de sobrevivência.
Explicou que o tomate é comprado a 120 meticais, por caixa de 20 quilogramas na machamba e chega ao Mercado do Zimpeto a um valor que varia entre 150 e 170 para depois comercializar a 20 e 30 meticais, é simplesmente uma lástima.
A nossa Reportagem deslocou-se, ontem, ao Mercado Grossista do Zimpeto, na cidade de Maputo para se inteirar do actual estágio dos preços dos produtos e testemunhou a angústia em que os comerciantes estão mergulhados.
O cenário está cada vez péssimo, ao ponto de uma caixa de tomate ser comercializada a um preço que varia entre 20 e 30 meticais e a batata rondava entre 100 e 170 meticais.
A mesma sorte coube a Artimiza Castro, vendedora de tomate que estava a chorar por ter perdido pouco mais de 500 caixas de tomate, o que corresponde a uma perda de pouco mais de 120 mil meticais.
“Uma caixa de tomate que chegou aqui no Mercado do Zimpeto a 170 meticais, agora estou a vender entre 20 e 30 meticais. Isto é absurdo. Não sabemos como é que vamos sair deste problema em que estamos mergulhados”, frisou.
Carlos Sebastião, também foi vítima e na terça-feira perdeu mais de 100 sacos de batata- reno devido ao apodrecimento. Disse que neste momento tem um camião cheio mas diariamente o produto está a deteriorar-se.
“Eu não sei como é que vou sair deste problema porque o meu produto está a decompor-se quase que todo. A situação não está boa aqui no Mercado do Zimpeto”, precisou Carlos Sebastião.