Dois anos depois.

Finalmente! Volvidos dois anos após a instrução do processo número 141/2010 do caso de desvio de fundos do Instituto Nacional de Acção Social (INAS), a procuradoria provincial da Zambézia já acusou e enviou-o ao tribunal judicial da Zambézia, onde se encontra na posse da magistrada da terceira secção criminal.
Trata-se de um processo que envolve o antigo delegado da instituição, Leonel Correia, e a actual chefe de repartição de administração e finanças, Rossana Passá, acusados de envolvimento nos desvios e esquemas de saque de valores destinados a pessoas desfavorecidas.
A nível do tribunal, o processo de desvio de fundos no INAS está registado com o número 94/2012, acusado e remetido ao tribunal no mês passado onde, neste momento, aguarda pelo despacho de pronúncia ou despronuncia da juíza. Em caso de pronúncia, os arguidos serão intimados para o julgamento, que se espera venha a acontecer nos próximos dias em Quelimane.

Recorde-se que o caso de desvio de fundos no INAS de Quelimane foi denunciado no ano de 2010 por um grupo de trabalhadores à procuradoria provincial, depois de longo tempo de saques de valores cometidos por aqueles funcionários seniores da instituição.
Da documentação em nosso poder, da inspecção realizadas pelos peritos da direcção das finanças regional centro, consta que os co-arguidos Leonel Correia e Rossana Passa criaram associações e projectos fictícios nos quais alocaram fundos, supostamente, destinados a geração de rendimentos. Na sequência disso, apoderaram-se dos valores para benefício pessoal num montante global estimado em perto de 200 mil meticais.