Até ontem, o saco de 50 kg era comercializado a 420 Mt na cidade de Nampula, 500 Mt na cidade de Pemba e 700 Mt em Lichinga.
O descompasso entre o ritmo acelerado das construções na região norte do país e a capacidade de produção do cimento pelas duas fábricas instaladas naquela região, especificamente em Nacala, e o oportunismo dos principais revendedores são apontadas como as causas da escassez e sistemáticas subidas do preço de cimento na região norte do país, onde, até ontem, o saco de 50 kg era comercializado a 420 meticais na cidade de Nampula, 500 meticais na cidade de Pemba, em Cabo Delgado, e 700 meticais no município de Lichinga, província do Niassa, contra 350 meticais do custo do saco, pelo menos, na cidade de Nampula, nos meados de Setembro, tendo antes, isto é, em julho, custado 275 meticais.

Uma fonte ligada à direcção provincial da Indústria e Comércio, instituição que, nos últimos 15 dias, tem estado a investigar as reais causas da crise e alta do preço de cimento em poucos locais onde tem havido, disse à nossa reportagem que o arranque de grandes obras de infra-estruturas públicas na região norte do país, particularmente na província de Nampula, como, por exemplo, a asfaltagem das estradas Nampula-Cuamba, Nampula-Ligonha, Namialo-Rio Lúrio, a ampliação das barragens de Nampula e Nacala, obras de transformação da base áreas de Nacala em aeroporto internacional, estão a consumir grandes quantidades de cimento.