Moçambique aperta importação de electrodomésticos que usam gás prejudicial
O governo está a intensificar o controlo da importação e venda de equipamentos eléctricos usados a nível doméstico e industrial. A ideia é banir, gradualmente, o uso de geleiras, congeladores, ar condicionados e outros que funcionam na base de clorofluorcarbonetos (CFC´s), um tipo de gás considerado prejudicial à camada do ozono.

Leonardo Sulila, coordenador da Convenção para a Protecção da Camada de Ozono e do Protocolo de Montreal sobre as Substâncias que Destroem a Camada de Ozono, explicou a propósito que, no lugar dos CFC´s recomenda-se o uso dos hidrofluorcarbonetos, também conhecidos por R-134A.

Tudo porque a densidade de R-12 é duas vezes espessa que a R-134A. Por causa disso, quando usado nos motores dos equipamentos referidos, duplicam o esforço necessário para um bom funcionamento, o que, na maioria dos casos, provoca o aquecimento das máquinas e a libertação de gases nocivos à camada do ozono.

Neste contexto, seis máquinas acabam de ser adquiridas pelo Governo para actividades de inspecção na entrada e utilização daquele tipo de gás. Daqueles aparelhos, duas serão utilizadas pela inspecção das actividades económicas de modo a evitar a proliferação de geleiras, congeladores e ar condicionados que utilizam o gás banido por lei. As restantes serão entregues à Autoridade Tributária de Moçambique para uso pelas Alfândegas de Moçambique.

“Uma vez importadas, estamos, neste momento, a seguir alguns procedimentos burocráticos com vista a assegurar a sua montagem nos locais a partir dos quais são feitas as inspecções”, garantiu.

Com aquele número de máquinas, o país passa a contar com 21 aparelhos. As 15 existem há alguns anos no mercado e estão a cargo das Alfândegas de Moçambique.

No mesmo exercício de proteger a camada de ozono, o Governo está a preparar um curso de capacitação dos agentes policiais, técnicos do Instituto Nacional dos Transportes Terrestres e de outras entidades. Pretende-se habilitar aqueles profissionais para melhor lidarem com aqueles electrodomésticos.

“Gostaríamos de recomendar à sociedade no sentido de parar de comprar geleiras que usam o gás com referência R-12. Para enganar os consumidores, alguns fabricantes escrevem nos electrodomésticos mencionados expressões como ozono friendly ou free CFC´s. Há que ter cuidado com isso”, alertou.

Para já, algumas empresas já estão atentas ao problema e, sempre que compram aquele tipo de equipamento solicitam a verificação do tipo de gás que utilizam.

“Alguns países que produzem aquele tipo de electrodomésticos e gás têm estado, inclusive, a oferecer aos países menos avançados como forma de se livrarem dele, pois o seu banimento, em todo o mundo, está em curso”, destacou.