O provedor de Justiça, José Abudo, considera que as precárias condições de trabalho da polícia não dignificam a classe, mas os agentes têm-se esforçado para garantir a ordem e tranquilidade públicas no país.
“É preciso trabalhar no sentido de melhorar as condições. Mas, por aquilo que vimos, essa polícia que não tem condições tem feito o máximo que pode para ir resolvendo os problemas que temos. É preciso, de facto, que a entidade de direito se empenhe no sentido de resolver essa situação”, disse.

Na senda da visita efectuada esta terça-feira pelo jornal o país a dois postos policiais na cidade de Maputo, onde constatou que os agentes trabalham em condições deploráveis, Abudo frisou que, apesar das péssimas condições de trabalho, a corporacão tem estado a responder cabalmente aos desafios que o  crime impõe.

“Eles estão a combater o crime. Os tribunais, se estão a julgar criminosos, é porque a polícia é que os leva para lá, mesmo com essas condições péssimas que relatamos. O que interessa é que todos nós lutemos para melhorarmos as condições”, afirmou a fonte.