Destaque Isabel dos Santos contesta mandado da Interpol por “informações falsas”

Isabel dos Santos contesta mandado da Interpol por “informações falsas”

Receba vagas no seu WhatsApp

Siga o nosso canal do WhatsApp para receber vagas no status do WhatsApp.

Clique aqui para seguir

A empresária angolana Isabel dos Santos pretende contestar o “alerta vermelho” emitido pela Interpol, a pedido do Estado angolano, argumentando que este se baseia em “informações falsas”, conforme revelado pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ) na quarta-feira.

O ICIJ divulgou uma investigação sobre os bens imobiliários de Isabel dos Santos, de sua mãe e de um antigo associado de seu falecido marido, Sindika Dokolo, no Dubai, descrevendo o local como um “porto seguro” para fortunas ilícitas de políticos e indivíduos enfrentando processos judiciais.

Em resposta ao consórcio de jornalistas sobre as propriedades nos Emirados Árabes Unidos, a filha do antigo presidente angolano José Eduardo dos Santos declarou que contestará o pedido da Interpol, uma vez que foi emitido com base em “informações falsas” pelas autoridades de Angola.

O “alerta vermelho” emitido em 2022 é uma medida da Interpol para localizar e prender provisoriamente uma pessoa enquanto aguarda extradição ou outra ação legal semelhante.

Isabel dos Santos afirmou que adquiriu seu apartamento para “uso pessoal” com dinheiro proveniente de suas empresas e aparições públicas, e acusou o Presidente João Loureço e as autoridades angolanas de terem uma “agenda de motivação política” contra a família Dos Santos.

A justiça angolana tem rejeitado essas acusações e afirmou usar todos os meios possíveis para trazer Isabel dos Santos de volta ao país, de onde saiu em 2017, quando João Loureço assumiu a presidência.

A investigação do ICIJ, intitulada “Dubai Unlocked”, revela políticas que transformaram o Dubai em um porto seguro para supostos criminosos e políticos corruptos. Dados mostram que Isabel dos Santos e sua mãe são coproprietárias de um apartamento no Dubai, avaliado em mais de 570 mil dólares.

Apesar dos processos judiciais em Angola, Portugal, Reino Unido e Países Baixos, Isabel dos Santos publica regularmente fotos e vídeos nas redes sociais mostrando-se em restaurantes e festas no Dubai.

Os Emirados Árabes Unidos não possuem acordos com Angola nem tratado de extradição com o país. No início deste ano, a justiça angolana acusou Isabel dos Santos de 12 crimes, alegando causar um prejuízo de 219 milhões de dólares durante sua gestão na Sonangol.

Ganhe 1000MT hoje no Aviator. Comece com 10MT.