Destaque Dividas Ocultas: Réus condenados a penas de 10 a 12 anos de...

Dividas Ocultas: Réus condenados a penas de 10 a 12 anos de prisão

O juiz do “caso dívidas ocultas”, Efigénio Baptista, ditou, hoje, a sentença dos réus. As penas variam entre 10 a 12 anos de prisão maior e pagamento de multas. O juiz condenou 11 réus e absolveu oito.

O juiz Efigenio Baptista explicou a razão pela qual aplicou penas que podem ser entendidas como brandas alegando que estas são penas máximas possíveis e que resultam de alterações noo Código Penal havidas em 2014 e 2019.

Antonio Carlos do Rosário e Gregório Leão condenados a pena única de 12 anos;

Ângela Leão condenada a 11 anos;

Fabião Mabunda condenado a 11 anos de prisão maior e multa de 64.800 meticais;

Armando Ndambi Guebuza condenado a pena de 12 anos de prisão e a uma multa de 162 mil meticais de multa;

Teófilo Nhangumele foi condenado a 12 anos de prisão maior e multa de 162 mil Meticais; Bruno Langa foi condenado a 12 anos de prisão e multa de 252 mil Meticais.

Cipriano Mutota condenado a 10 anos de prisão e multa de 32.400 meticais; Maria Inês Dove foi condenada a 11 anos de prisão e 36 mil meticais; Sérgio Namburete foi condenado a 11 anos de prisão e 32.400 meticais de multa; Manuel Renato Matusse foi condenado a 12 anos e a uma multa de 35.100 meticais de multa.