Destaque PGR angolana confirma mandado de captura contra Isabel dos Santos

PGR angolana confirma mandado de captura contra Isabel dos Santos

O procurador-geral da República de Angola, Hélder Pitta Groz, confirmou, esta segunda-feira, em Luanda, que a Procuradoria- Geral da República (PGR) emitiu um mandado de captura internacional contra a empresária Isabel dos Santos.

Falando à imprensa, Groz referiu que a instituição está a trabalhar com a INTERPOL (Polícia Internacional), que teve a missão de disseminar o mandado em todos os Estados-membros da organização.

“Em Angola temos uma representação da INTERPOL, onde foi entregue essa documentação que fez seguir toda a tramitação necessária até à sede da INTERPOL, que vai disseminar por todos os países-parte desta organização”, disse. O procurador-geral da República afirmou que a PGR deu à empresária Isabel dos Santos várias oportunidades, para que ela respondesse às notificações: “Mandamos várias notificações e nenhuma foi respondida. Depois de estarmos quatro anos com o processo parado, decidimos em última razão emitir o mandado”.

Hélder Pitta Groz disse que a instituição tem tido contactos com os advogados da empresária, mas que em processos crimes o interrogatório deve ser feito a pessoas e não a advogados. O procurador desmentiu as declarações feitas pela empresária, segundo as quais a PGR nunca esteve disponível para ouvi-la.

O procurador-geral da República esclareceu que houve em 2018 a tentativa de notificar a cidadã Isabel dos Santos em sua casa: “a mesma foi recebida pela sua empregada e ela encontrava-se em casa, não aceitou e nem assinou a notificação e dias depois abandonou o país”. Explicou que foram feitas várias notificações e foram entregues quer ao escritório dos advogados, quer às empresas onde a empresária tinha alguma relação (UNITEL e ZAP) e não houve resposta das notificações.

Hélder Pitta Groz informou que, em Abril deste ano, a empresária esteve na Holanda e a PGR teve conhecimento da sua estadia naquele país, tendo em conta as boas relações com as entidades holandesas, e enviou uma Carta Rogatória para que Isabel dos Santos fosse notificada pelas autoridades holandesas. “Ela foi localizada, mas não aceitou assinar a notificação e muito menos ser interrogada e imediatamente abandonou o país”, disse.