Sociedade Incursões rebeldes provocaram 47 mil deslocados em Nampula

Incursões rebeldes provocaram 47 mil deslocados em Nampula

As incursões rebeldes registadas em setembro em Nampula provocaram um total de 47 mil deslocados, mas a maior parte voltou às suas zonas de origem com a melhoria das condições de segurança, avança fonte oficial.

“Nós tínhamos registado um total de 47 mil pessoas deslocadas devido a estes ataques na província, mas a maior parte já voltou para as suas regiões de origem. Atualmente, contabilizamos 18 mil pessoas que continuam na condição de deslocados”, explicou esta segunda-feira à agência de notícias Lusa o delegado do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD) em Nampula, Alberto Armando.

A vaga de deslocados registada no início de setembro em Nampula foi provocada por incursões rebeldes em aldeias e comunidades de dois distritos localizados no extremo norte da província, na linha de fronteira natural com Cabo Delgado, e as populações que fugiram foram acolhidas principalmente em Namapa, vila sede do distrito de Eráti, por familiares e pessoas de boa vontade.

“Já arrancaram várias iniciativas de apoio a estes deslocados, coordenadas pelo Governo e parceiros. Vamos apoiá-los em dois níveis: assistência alimentar e não alimentar”, acrescentou o delegado do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD) em Nampula.

O distrito de Eráti já contava com perto de cinco mil deslocados provenientes de Cabo Delgado, um grupo que, segundo o INGD, também vai ser apoiado no âmbito destas iniciativas.

As incursões destes grupos, que terão atravessado de Cabo Delgado para a margem sul do rio Lúrio, tiveram como principais alvos na província de Nampula os distritos de Eráti e Memba.

O rio Lúrio é a fronteira natural entre as províncias de Cabo Delgado e Nampula, a sul.