Início Desporto Moçambique perdeu diante da África do Sul em jogo da Taça Cosafa

Moçambique perdeu diante da África do Sul em jogo da Taça Cosafa

A Selecção Nacional de Futebol Feminino perdeu na segunda-feira diante da congénere da África do Sul por (1-3), em desafio da terceira e última jornada do grupo A, da Taça Cosafa que decorre em Porth Elizabeth, na terra do rand.

As sul Africanas adiantaram-se no marcador por Sibulele Holweni aos 24 minutos. No decorrer do jogo as donas da casa continuaram a criar mais oportunidades de golo, mas o resultado manteve-se (1-0), até ao intervalo.

No reatamento do encontro, logo nos primeiros dois minutos, a selecção de todos nós tentou fazer um jogo organizado, mas falhava no último passe. Por sua vez, as Bafana-Bafana continuavam a empurrar o conjunto moçambicano para defensiva e criando mais jogadas de perigo.

O golo de empate surgiu na sequência de uma jogada de insistência, que passou pelos pés de Célia Moçambique, que descobriu celina na grande área, onde de cabeça fez o tento de igualdade aos 63 minutos. Mas, três minutos depois, Melinda recolocou as campeãs da prova regional em vantagem (2-1).

Aos 75 minutos na sequência de um livre directo, a formação sul Africana quase fazia o terceiro, se não fosse o posto a salvar as meninas da perola do Índico que estavam esperançosas em fazer o tento de empate, afinal era um aviso, no outro livre directo, um minuto depois, a bola tocou na trave no canto esquerdo da guarda-redes moçambicana, mas desta vez sobraria para Sibulele Holweni, fazer o terceiro do jogo e o segundo na conta pessoal.

O (3-1) foi o resultado final a favor da equipa sul-africana.

Assim terminou a caminhada de Moçambique nesta prova, onde termina no último posto do Grupo A com apenas um ponto, num grupo liderado pela África do Sul com sete pontos, seguido por Malawi com seis, que venceu Angola por duas bolas a zero, que tem dois no terceiro lugar.

FONTEFolha de Maputo
Artigo anteriorRestrição de voos abriu tensão diplomática entre França e Argélia
Próximo artigoRelatório revelou que 330 mil crianças podem ter sido abusadas na Igreja Católica