O Conselho Municipal da Cidade da Beira poderá retirar compulsivamente os vendedores que exercem actividades nas bermas das ruas e estradas da urbe, encorajando-os a ocuparem locais mais adequados de alguns mercados da cidade.

A posição foi tornada pública pelo vereador para a área de Indústria, Comércio, Mercados e Feiras da edilidade, Albino Mussendo, justificando que a permanência desses vendedores nas vias públicas cria desordem, atenta à integridade e postura municipal e periga a sua própria vida.

“A venda destes produtos nas bermas e passeios constituiu um perigo porque os próprios vendedores ficam sujeitos a vários riscos como a perda dos produtos e a acidentes de viação que podem originar ferimentos graves ou mesmo a morte”, alertou o vereador.

Mussendo avançou que tal situação se verifica nas estradas principais e nos semáforos onde vários vendedores, incluindo menores de idade metem-se no meio dos carros em busca de clientes, correndo o risco de serem atropelados