A Polícia da República de Moçambique (PRM), na cidade de Maputo, está no encalço dos sequestradores do empresário Arvin Kumar, de origem indiana.

Segundo o porta-voz da PRM, Leonel Muchina, as autoridades conseguiram identificar a viatura utilizada pelos raptores, através de imagens das câmaras de vigilância.

“Já associamo-nos ao Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC), e abrimos todas as linhas operativas não só na capital do país para esclarecer o crime. Temos as características da viatura e dos indivíduos envolvidos no sequestro”, afirmou.

A vítima teria sido interpelada pelos criminosos, no início da noite de domingo, na avenida Romão Fernandes Farinha, bairro do Alto-Maé, quando se dirigia à sua residência na companhia da esposa.

O empresário foi retirado do veículo à força. A esposa e a filha da vítima teriam gritado por socorro, com o intuito de impedir o sequestro, pelo que acabaram agredidas.

A mulher do sequestrado foi atingida por um tiro e contínua em tratamento numa unidade sanitária, enquanto a filha que sofreu uma coronhada com recurso a pistola já teve alta.

Testemunhas tentaram acudir o casal, mas os malfeitores dispararam e levaram Kumar para uma outra viatura, colocando-se em fuga para parte incerta.

O porta-voz da PRM apelou a colaboração da população na identificação de possíveis cativeiros.

“Estamos cientes que, geralmente, os sequestradores mantêm as vítimas em cativeiros localizados nas áreas residenciais, por isso, apelamos que a população esteja atenta a qualquer movimentação suspeita e denuncie à Polícia”, exortou Muchina.

De referir que há alguns meses não se registam sequestros de empresários na cidade e província de Maputo.