O ex-banqueiro e candidato da direita Guillermo Lasso venceu o adversário Andrés Arauz e tornou-se presidente do Equador.

Aliado do ex-presidente Rafael Correa, Arauz reconheceu a derrota quando a apuração chegou a 93,27% das atas. Lasso tinha 52,51% dos votos válidos, contra 47,49% obtidos por Arauz.

O candidato disse que ligaria para o rival para felicitá-lo pela vitória, a fim de demonstrar suas “convicções democráticas”.

A posse do novo presidente, que vai substituir Lenin Moreno, vai ocorrer em 24 de Maio.

No primeiro turno, em Fevereiro, Arauz ficou em primeiro lugar, com 32,7%, contra 19,74% de Lasso e 19,39% do advogado Yaku Pérez, candidato do movimento indígena Pachakutik.

Pérez alegou fraude para afastá-lo da disputa final e pediu uma recontagem da maior parte dos votos, que foi negada pelo Conselho Eleitoral.

A coalizão de Lasso ganhou apenas 31 cadeiras no Congresso, enquanto a Aliança União pela Esperança, de Arauz, tem 49, e a Esquerda Democrática, do ex-candidato presidencial Xavier Hervas, elegeu 18 deputados.