Presidente eleito apresenta equipa de diplomacia e segurança nacional e diz que Estados Unidos estão “prontos para liderar o mundo”.

O Presidente eleito americano Joe Biden declarou na terça-feira, 24, que os Estados Unidos estão “prontos para liderar o mundo e não recuar dele”.

“América voltou”, afirmou o democrata no dia em que formalmente começou o processo de transição com vista à sua posse a 20 de janeiro.

Biden garantiu que o país está “pronto para enfrentar nossos adversários, não rejeitar nossos aliados e pronto para defender nossos valores”.

Ao apresentar os primeiros membros do seu Governo, responsáveis da política externa e segurança nacional, em Wilmington, no Estado de Delaware, Joe Biden afirmou que “eles incorporam a minha crença central de que a América é mais forte quando trabalha com seus aliados”.

“É assim que realmente mantemos a América segura, sem nos envolver em conflitos militares desnecessários, e nossos adversários sob controlo e terroristas sob controlo”, reiterou o democrata, destacando que eles “não apenas irão reparar, eles irão reimaginar a política externa americana e a segurança nacional para a próxima geração”.

Na sua intervenção, Biden acrescentou que “para o povo americano, esta equipa nos deixará orgulhosos de ser americanos”, porque trará “experiência e liderança, pensamento e perspectiva renovados e uma crença implacável na promessa da América”.

O pelotão da diplomacia e segurança

Como anunciado anteriormente, Anthony Blinken foi confirmado no cargo de secretário de Estado.

Ele foi conselheiro de Biden durante muito tempo e sub-secretário de Estado durante os últimos anos da Administração Obama.

O Presidente eleito confirmou a ex-vice-directora da CIA, Avril Haines, como primeira mulher para o cargo de Director Nacional de Inteligência, enquanto Alejandro Mayorkas, natural de Cuba, é o primeiro latino a assumir o Departamento de Segurança Interna, responsável pela imigração.

Jake Sullivan, de 43 anos de idade, será o novo Conselheiro de Segurança Nacional.

Entre outras importantes nomeações consta a de Linda Thomas-Greenfield, diplomata com 35 anos de carreira e sub-secretária de Estado para Assuntos Africanos durante o último mandato de Barack Obama, que vai ser a embaixadora junto das Nações Unidas.

O antigo senador, ex-candidato presidencial e secretário de Estado na Administração Obama, John Kerry, foi o escolhido como enviado presidencial especial para o Clima e fará parte do Conselho de Segurança Nacional

É a primeira vez que o NSC incluirá um enviado dedicado às mudanças climáticas, o que, segundo a equipa de Biden, reflecte o compromisso do Presidente eleito de abordar as mudanças climáticas como uma questão urgente de segurança nacional.

Transição

Entretanto, a Casa Branca confirmou hoje que Joe Biden passará a receber os relatórios de inteligência que são enviados a Donald Trump, um importante capítulo do processo de transição.

Esses relatórios contêm informações confidenciais sobre segurança nacional e ameaças à paz tanto nos EUA quanto no mundo.

Também nesta terça-feira, o secretário de Saúde e Serviços Humanos, Alex Azar, admitiu que o órgão vai enviar relatórios ao à equipa de Biden e prometeu uma transição “profissional, cooperativa e colaborativa”.

Apesar do processo em curso, o Presidente Donald Trump ainda não deu qualquer indicação de pretender aceitar a vitória de Biden e reiterou que continuará a batalha legal.

Hoje, os Estados da Pensilvânia e Nevada confirmaram a vitória de Biden, que oficialmente tem 306 delegados contra 232 de Trump.

Ontem, Michigan também confirmou a vitória de Biden, depois de na sexta-feira a Geórgia ter feito o mesmo.