A capacidade da barragem aproxima-se de 25 por cento das necessidades. A cidade moçambicana Nampula, com pouco mais de 700 mil habitantes, enfrenta enormes restrições no abastecimento de água potável, devido às fracas precipitações registadas.

A capacidade da barragem aproxima-se de 25 por cento das necessidades.

“A barragem tem capacidade para 3.8 mil milhões metros cúbicos mas a cidade necessita de 14 mil milhões metros cúbicos”, revelou Carlitos Omar, director geral da ARA Centro e Norte numa conferência de imprensa nesta terça-feira, 13.

Entretanto, o director do Fundo de Investimento e Património de Abastecimento de Água em Nampula, Inacio Inácio, aponta, como medidas para melhorar a gestão da água, principalmente em tempo de pandemia, uma distriuição de acordo com a capacidade existente e de forma programada.

O volume de produção será reduzido de 40 mil metros cúbicos para 20 mil.

“Obviamente que o abastecimento não vai ser da forma habitual, a distribuição vai ser por via de restrições, ou seja através de bairros e vamos elaborar um plano que será disponibilizado de modo que as pessoas saibam os dias em que terão água”, explicou Inácio.

As restrições acontecem numa altura em que a procura pela água cresceu bastante devido à pandemia que exige a adopção de medidas de higiene principalmente a lavagem das mãos.