A comunidade cientifica mundial está a pedir ação urgente para melhorar a confiança dos cidadãos na informação sobre a vacina contra a covid-19 e respetiva imunização, uma vez que existem minorias consideráveis que estão relutantes em serem vacinadas.

De acordo com a agência France Press, os poucos tratamentos eficazes e a falta de uma cura para o novo coronavírus está a levar os governos e entidades numa verdadeira corrida contra o tempo para desenvolver vacinas para a pandemia.

Em paralelo, cresce a preocupação de que a “hesitação na descoberta da vacina” esteja a aumentar a desinformação e a desconfiança na aceitação da mesma entre as pessoas.

Um novo estudo, publicado esta terça-feira na revista Nature Medicina, indica que investigadores de Espanha, Estados Unidos e Reino Unido, que entrevistaram cerca de 13 400 pessoas em 19 países fortemente atingidos pela covid-19, indicam que 72% dos inquiridos aceitam ser vacinados, 14% recusariam e outros 14% hesitariam em tomar a vacina.

Segundo a mesma fonte, este número quando extrapolado para populações inteiras pode chegar às dezenas de milhões de individuos que podem evitar a vacinação.