Até Janeiro de 2021, a Autoridade Tributária de Moçambique espera arrecadar 60 milhões de meticais com a regularização de viaturas com matrícula estrangeira. A campanha para o efeito foi lançada sexta-feira 14, no posto administrativo de Ressano Garcia, província de Maputo.

A iniciativa chama-se “chave legal, chave segura”. De acordo com o director-geral das Alfândegas, Taurai Tsama, nos últimos três anos foram regularizados 3.884 veículos, processo que permitiu o Estado colectar 128,93 milhões de meticais.

Na última operação realizada de Outubro de 2018 a Fevereiro de 2019, foram legalizados 687 veículos, um encaixe de cerca de 49 milhões de meticais para os cofres do Estado, segundo explicou a fonte.

Com a campanha recém-lançada, “a Autoridade Tributária de Moçambique, através das Alfandegas, prevê arrecadar, cerca de 60 milhões de meticais”, afirmou Taurai Tsama, para quem dos veículos que circulam irregularmente com matrícula estrangeira no país, cerca de 80% são sul-africanos e 5% de Eswathini.

“As provincias de Maputo, Inhambane e Gaza destacam-se com maior número de veículos com matrículas estrangeiras em relação as restantes provinciais. Há tambem no nosso país circulação de veículos com matrículas nacional falsa”, disse o director-geral das Alfândegas.