O Hospital Central de Maputo (HCM), o maior de Moçambique, está a cancelar cirurgias, devido a uma quebra no número de dadores de sangue provocada pelo receio de infecção pelo novo coronavírus, disse na sexta-feira (24) a directora clínica do estabelecimento.

Farida Urci declarou à emissora pública Televisão de Moçambique (TVM) que o HCM adiou esta semana dez operações devido à insuficiência de sangue.

Se não houver adesão da população aos pedidos de doação de sangue, haverá mais doentes com cirurgias canceladas e quanto mais tempo essa situação durar, correm o risco de terem complicações ou um desfecho mau”, acrescentou Farida Urci.

A escassez de sangue está a afetar em particular intervenções cirúrgicas em doentes oncológicos, casos de traumatismos e grávidas com partos complicados, acrescentou Urci.

Desde o registo do primeiro caso de Covid-19 em Moçambique, prosseguiu, a quantidade de sangue doado no HCM tem vindo a decrescer, sendo que são atualmente coletadas 100 unidades de sangue por dia, um quarto das que eram angariadas antes da crise pandémica.

A diretora clínica do maior hospital de Moçambique avançou que o receio de infeção pelo novo coronavírus afastou muitos dadores, deixando o HCM a depender apenas de familiares dos doentes com necessidade de transfusão de sangue.

Antes da crise, continuou Farida Urci, doavam sangue crentes religiosos, militares e pessoas de outros grupos sociais.

Moçambique conta com um total de 1.590 casos de Covid-19, 11 óbitos e 532 recuperados, segundo as últimas atualizações.