O Instituto Nacional de Doenças Infecciosas do Japão realizou um estudo que apontou que as mais de 700 pessoas que contraíram o coronavírus no navio Diamond Princess, em fevereiro, foram infectadas por apenas uma pessoa. As informações são do Portal iG.

O estudo, publicado nessa terça-feira (28/7), foi feito a partir do sequenciamento genético das pessoas que fizeram testes dentro do navio. Os cientistas esperavam conseguir diferentes combinações genéticas para identificar a variedade de mutações do vírus, mas perceberam que a contaminação teve apenas uma origem.

Mesmo após decretar a quarentena no porto de Yokohama, o cronograma de eventos não foi alterado, causando aglomeração de pessoas dentro da embarcação e, consequentemente, a contaminação em massa.

“Embora a disseminação adicional possa ter sido evitada pela quarentena, alguns grupos de progênies podem estar ligados à transmissão por meio de eventos com aglomerações nas áreas de lazer a à transmissão direta entre passageiros que compartilharam cabines durante a quarentena“, afirmou o estudo.