A Fastjet iniciou voos domésticos no espaço aéreo moçambicano em Novembro de 2017, operados pela Solenta Aviation Mozambique. Contudo, o negócio está tremido.

Na manhã da segunda-feira (21), a Direcção desta companhia aérea conhecida por seus serviços de baixo custo, anunciou que vai suspender suas operações em Moçambique, a partir da meia-noite de Sábado próximo, depois de reportar prejuízos na ordem de mais de dois milhões de dólares nos primeiros seis meses deste ano, segundo O País.

A suspensão inclui todos voos, incluindo os de acordo de partilha de códigos com as Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) para Maputo, Tete, Beira e Quelimane.

De acordo com O País, a companhia explica que a decisão de suspender os serviços das rotas seguiu uma revisão abrangente de todos os serviços oferecidos em Moçambique.

A companhia informa que só retomará suas operações em Moçambique quando a demanda geral por viagens aéreas no país aumentar significativamente em comparação com a capacidade fornecida para permitir a viabilidade financeira a longo prazo.

Folha de Maputo