A companhia francesa Total venceu a disputa pela gestão da Anadarko, que detém a maior reserva de gás natural em África, localizada na Área 1 da Bacia do Rovuma, em Cabo Delgado (Moçambique).

A Total associou-se à Ocidental para disputar a compra da Anadarko, que lidera o consórcio de exploração de gás natural em Moçambique, Argélia, Gana e África do Sul, e anunciou um dos maiores investimentos em Moçambique, avaliado em mais de 20 mil milhões de euros. Um valor que representa o dobro do PIB daquele país.

A declaração oficial da Decisão Final de Investimento (FID) foi feita numa cerimónia em Moçambique, presidida pelo Presidente da República Filipe Nyusi.

O ministro dos Recursos Minerais, Ernesto Max Tonela, em representação do estado moçambicano, e o presidente-executivo da Anadarko, Al Walker, rubricaram o acordo de investimento.

O presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, considerou que este acordo poderá fazer de Moçambique um dos maiores fornecedores mundiais de energia limpa nas próximas décadas.

Euronews