O nosso país torna-se a partir de hoje (18) devedor das agências de crédito à exportação dos Estados Unidos da América, África do Sul, Itália, Japão e China em virtude da Garantia Soberana de 2,25 biliões de Dólares que o Governo concedeu à Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH) para participar dos investimentos na Área 1 do Bloco do Rovuma.

O @Verdade apurou que até ao final de 2019 o braço empresarial do Estado nos projectos de petróleo e gás poderá elevar a sua dívida, que também é do povo moçambicano, até os 5,5 biliões de Dólares norte-americanos.

A assinatura da Decisão Final de Investimento (DFI) pelo Governo de Filipe Nyusi e o Consórcio que vai explorar os campos Golfinho & Atum da Área 1, na Província de Cabo Delgado, assinala também o início de novas dívidas para os moçambicanos.

A primeira é de 2,25 biliões de Dólares norte-americanos para financiar a participação de 15 por cento da ENH na exploração directa dos 75 triliões de pés cúbicos de gás natural que serão extraídos e liquefeitos no Distrito de Palma, se tudo correr bem, a partir de 2024.

@Verdade