O Ministério da Educação anunciou a interrupção de aulas nas escolas de Cabo Delgado devido ao ciclone “Kenneth”, que atinge o norte do país.

As aulas estão interrompidas e os alunos só retomam na segunda-feira, informa-se num comunicado do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano.

Além do norte, o ciclone, que começou como depressão atmosférica no Oceano Índico, poderá afectar o sul da Tanzânia.

Moçambique precisa de 100 milhões de meticais para assistir a eventuais vítimas do ciclone “Kenneth”, segundo as autoridades, que já emitiram um alerta vermelho.

Em comunicado distribuído ontem à imprensa, a Cruz Vermelha manifestou-se preocupada com os possíveis impactos da passagem do ciclone, anunciando que foram destacados voluntários no norte para alertar e assistir as comunidades.

“Estamos, especialmente, preocupados com o seu possível impacto em Moçambique, onde as comunidades ainda se recuperam da devastação do ciclone Idai, que passou em 14 de Março e matou 603 pessoas”, afirmou Fatoumata Nafo-Traoré, directora Regional para a África da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, citada no comunicado.

Dados oficiais indicam que perto de 692 mil pessoas estão em zonas consideradas de risco no norte de Moçambique.

Jornal Notícias