O impacto do Ciclone tropical IDAI no Centro de Moçambique levou o Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE) a suspender o início da formação dos brigadistas e agentes de educação cívica que irão realizar o recenseamento eleitoral necessário para as Gerais de 15 de Outubro.

O STAE justifica a decisão com a “necessidade de harmonizar as actividades de formação e de educação cívica” mas não indica se a suspensão irá afectar a data prevista para o início do recenseamento que está marcada para 1 de Abril, até 15 de Maio.

A situação de “Emergência Nacional” que se vive em Sofala e Manica é mais uma condicionante para o processo eleitoral que já tinha o desafio de gerir a situação de insegurança militar que continua no Norte da província de Cabo Delgado e propõe-se a registar 13 milhões de moçambicanos em idade de votar no pleo Presidencial, Legislativo e das Assembleias Provinciais que está marcado para 15 de Outubro deste ano.

O País