Com a explosão demográfica e o ritmo frenético da zona metropolitana de Maputo, esta área, quase que se pode chamar a cidade que não dorme.

Os serviços nocturnos, como hospitais, casas de pasto, serviços de segurança privada, casas de diversão entre outros sempre demandaram por transporte durante a noite, numa altura em que estes circulam no máximo até a hora zero.

Foi desta que a Agência Metropolitana de Transportes anunciou que, a partir de Maio próximo haverá transporte público 24 horas por dia. A Região Metropolitana de Maputo compreende a cidade de Maputo e província de Maputo, abrangendo os municípios da Matola, Vila de Boane e Marracuene e zonas limítrofes.

A “Agência” delimitou uma série de locais cuja demanda de transporte no período nocturno é maior. “Temos como locais de atracção de demanda nocturna de transportes público urbano os seguintes pontos: Hospitais centrais e gerais com serviços de urgência, maternidades, casas de pastos, hotéis, serviços de segurança privada, forças de defesa e segurança, locais de diversão nocturna, portos e caminhos-de-ferro, aeroporto, empresas de transporte, fábricas e indústrias de laboração contínua”, explicou.

O “O País” ficou a saber que foi lançado um concurso público para a selecção de três cooperativas de transporte público para responder aos serviços nocturnos. O representante da Agência Metropolitana de Transportes referiu que a medida visa responder a demanda de transportes no período nocturno.

“Fomos notando que havia um vazio no intervalo de meia-noite até mais ou menos quatro a cinco horas da manhã, mas a prática mostra que a vida na cidade não para, ela é dinâmica, mas as pessoas acabam sendo obrigadas a se sujeitar a esse horário e em alguns casos as pessoas dormem nas paragens a espera do primeiro autocarro pela manhã. Agora não será necessário, a partir de Maio as pessoas vão poder desfrutar do bom que Maputo tem sem se preocupar com o transporte” assegurou.

Bembele, informou ainda que, a tarifa aplicável não será a mesma, avança-se que será uma tarifa única de 35 meticais. Para os utentes, uma satisfação, porque, por exemplo, para quem trabalha em turnos ou até alta hora já terá um alívio.

“Vai ser uma vantagem para aqueles que trabalham a noite e não só, poderemos também ter fácil acesso aos hospitais. Nunca se sabe o que pode acontecer” disse Joaquina Fernando, utente.

Para Naldo António, a mais valia será porque ele residente distante da cidade e sai tarde do trabalho. “Poderei ficar mais tranquilo, basta não demorarem”, disse.

Referir que, são no total nove rotas de transporte nocturno, que poderá ter vários pontos de paragem nos principais bairros que demandam por transporte. O corredor da N1 vai até ao Hospital Central de Maputo, passando pelas avenidas Eduardo Mondlane, 24 de Julho, Praça 16 de Junho, União Africana, Avenida de Moçambique, Ponte do Zimpeto, Estrada Circular e Terminal Matola Gare.

A segunda rota será o corredor da Machava, terceiro Corredor de Boane, corredor da Matola, corredor de Magoanine, Corredor Av. Angola, corredor Nkobe, Corredor KaTembe e Corredor Costa do Sol.

O País