O Tribunal Judicial da Cidade de Maputo condenou, ontem, a antiga embaixadora de Moçambique nos Estados Unidos da América (EUA), Amélia Sumbana, a uma pena de dez anos de prisão, por crimes de abuso de cargo, peculato e branqueamento de capitais.

De acordo com o Tribunal, ficou provado que Amélia Sumbana cometeu os crimes de que é acusada, quando era embaixadora de Moçambique nos Estados Unidos de América.

Para além de ter sentenciado a uma pena de 10 anos de prisão efectiva, o Tribunal decidiu que a diplomata terá de pagar uma indemnização ao Estado no valor de 17.3 milhões de meticais, tendo sido apreendido um imóvel de que é proprietária, localizado na zona nobre da cidade de Maputo. O tribunal decidiu também congelar duas contas bancárias com cerca de 350 mil meticais.

A condenação pesada deve-se, segundo o juiz, ao facto de a arguida nunca ter reconhecido que actuou “em conflito com a lei”.

Entre outros ilícitos, a arguida terá usado parte do dinheiro para pagar a aquisição e reabilitação de um imóvel na cidade de Maputo, registada posteriormente em nome do marido. O advogado da antiga embaixadora, Pedro Macaringue, disse que vai recorrer do caso.

Folha de Maputo