A Comissão Nacional de Eleições de Moçambique (CNE) anunciou ontem, em Maputo, os resultados das quintas eleições realizadas em 53 cidades e vilas autárquicas a 10 de Outubro, que confirmam a vitória da Frelimo.

Os resultados indicam que a Frelimo venceu em 44 cidades e vilas, cabendo a Renamo, o maior partido da oposição oito municípios. O Movimento Democrático de Moçambique (MDM), o segundo maior partido da oposição, reteve o controlo do município da cidade portuária de Beira.

Uma breve análise dos resultados conclui-se que a Renamo teve um desempenho assinalável comparativamente aos anos anteriores.

Devido ao seu boicote nas autárquicas de 2013, a Renamo não controlava nenhum município no início deste ano. Depois das presentes eleições a Renamo passa a controlar oito municípios, incluindo três grandes cidades, nomeadamente Nampula, Quelimane e Nacala.

Também fez alguns progressos nas autarquias que anteriormente eram consideradas como sendo zonas de influência da Frelimo no extremo norte de Moçambique, vencendo em Chiúre na província de Cabo Delgado e Cuamba no Niassa.

Em termos de votos, a Frelimo ganhou 51,95 por cento – que é o pior resultado de todas as eleições. A Renamo conquistou 38,71 por cento dos votos, o MDM 8,5 por cento e os restantes partidos da oposição 0,84 por cento.

O MDM sofreu uma pesada derrota. Em 2013, quando era a única formação política a disputar com a Frelimo, controlava quatro municípios e tinha uma forte presença em muitas das assembleias municipais. Agora, controla apenas uma cidade e sua presença nas assembleias municipais foi drasticamente reduzida.

Folha de Maputo