A Polícia da República de Moçambique (PRM) deteve, na última segunda-feira na cidade da Beira, um falso funcionário da empresa Electricidade de Moçambique (EDM), que responde pelo nome de Pereira Tenente, que burlou algumas senhoras e jovens, com falsas promessas de emprego, em cerca de 30 mil meticais.

O burlador, que se fazia passar por técnico dos Recursos Humanos da empresa em alusão, contactou as suas vítimas pessoalmente e as outras por intermediário. Prometia-lhes emprego a troco de valores que variavam de 1.500, para as  mulheres e 4.500 para homens.

“Ele é meu vizinho. Certo dia contactou-me alegando que havia vagas na Empresa Electricidade de Moçambique a troco de dinheiro. Fomos juntos até a referida empresa e entramos num certo gabinete. Fiquei numa sala a espera e passado algum tempo ele retornou e levou toda a minha documentação e a do meu filho, alegando que era para vagas no sector de limpeza.  No dia seguinte, exigiu-me seis mil meticais, sendo 1.500 para supostamente pagar a minha vaga e os outros 4.500 para a vaga do meu filho. Garantiu-me que duas semanas depois o emprego estaria garantido. Passam hoje seis meses e sempre inventou desculpas, até ficarmos a saber que foi detido porque outras vítimas foram queixar à polícia”, explicou Felismina Joaquim, uma das vítimas.

O indiciado assumiu o crime, reconheceu que cometeu um erro e acrescentou que o fez em conluio com um suposto funcionário da EDM na cidade da Beira, identificado apenas com o nome de Helton.

“A iniciativa de burlar as pessoas não foi minha. Fui contactado por um amigo denominado Helton que trabalhava na EDM na Beira, que fiquei a saber mais tarde que foi expulso. Ele pediu-me para contactar pessoas com promessas de emprego e em troca eu recebia 200 meticais por cada vítima. Lembro-me que contactei 15 pessoas”, explicou Pereira Tenente, ora detido.

O País