Inspecção Nacional de Actividades Económicas (INAE) avisa aos estabelecimentos de Ensino Superior que têm até finais do mês de Agosto para sanar irregularidades.

Constam do rol dos itens a serem inspeccionados pela INAE, pagamentos em moedas estrangeiras, ausência de afixação de preços, higiene e outras irregularidades que imperam no funcionamento das escolas superiores públicas e privadas.

Ali Mussa, porta-voz do INAE, fez saber que nos últimos 15 dias, foram sancionadas uma série de estabelecimentos comerciais, na sequência de vários tipos de irregularidades, durante o habitual briefing quinzenal da instituição adstrita ao Ministério da Indústria e Comércio.

A drenagem no mercado informal de produtos no limite do prazo de validade tem sido o preocupação-chave dos inspectores da INAE, aconselhando desta forma a população em geral muita vigilância.

Neste contexto, e ainda sem medidas concretas de combate a este tipo práticas que atentam contra a saúde pública, Ali Mussa, diz que é preciso “confiar na boa-fé” dos proprietários dos estabelecimentos visados.

O País