Curtis Junior, um menino de oito anos, acabou por morrer depois de comer uns “cereais” que encontrou em casa, em Seymour, nos Estados Unidos.

Os “cereais” afinal eram droga, mais propriamente metanfetaminas, e levaram a criança a sofrer de uma overdose fatal. O menino não resistiu ao consumo de uma das drogas mais potentes do mundo, depois de ingerir 180 vezes o limite legal por pessoa.

Curtis Collman, o pai de origem indiana, foi acusado de não ter salvado o filho a tempo de lhe evitar a morte. O homem não levou o menino imediatamente ao hospital para evitar a prisão, temendo que as autoridades soubessem a quantidade de droga que tinha em sua posse.

Após a criança ser submetida a análises, concluiu-se que o pequeno Curtis consumiu o equivalente a 18.000 gramas de droga, sendo que a quantidade considerada legal não ultrapassa os 100 gramas por pessoa.

De acordo com o jornal Mirror, o pai Curtis Collman será julgado por negligência a 4 de Dezembro. O homem enfrenta também acusações de posse de arma de fogo, posse de droga, ausência de registo e roubo.

CM