Três irmãs, de 19, 18 e 17 anos, esfaquearam o pai até à morte depois de este alegadamente as ter submetido a anos de tortura e abuso sexual.

As jovens Kristina, Angelina e Maria enfrentam agora 15 anos de prisão efectiva, em Moscovo, na Rússia. As irmãs foram encontradas com dezenas de facas ao lado de um elevador, no interior do apartamento da família.

De acordo com o jornal Mirror, as jovens confessaram ter matado em conjunto o pai, de 57 anos, alegando que sofreram anos terríveis de abusos a nível sexual, físico e emocional. “Nós odiávamo-lo e só queríamos uma coisa para ele – que ele morresse, ou então que nunca mais soubéssemos nada dele”, confessou Kristina, uma das irmãs julgadas. “Queríamos que ele fosse embora e nunca mais voltasse”, acrescentou.

De acordo com o mesmo jornal britânico, as irmãs alegaram que no dia do ataque o pai as tinha ameaçado com uma faca dentro do apartamento onde acabaria por morrer. Os relatórios judiciais avançam que uma das irmãs teve a iniciativa e esfaqueou o pai e de seguida, as irmãs juntaram-se ao ataque.

O homem tentou fugir do apartamento mas foi atacado e morreu antes de chegar ao elevador. Amigos e vizinhos alegaram que o pai era tirânico e que a mulher o tinha deixado por causa dos abusos que sofria.

O jornal avança ainda que o homem estava ligado ao mundo do crime e pertencia a uma “espécie de máfia”. De acordo com o Mirror, um amigo da família disse que a mãe das jovens sabia que pelo menos uma das meninas já tinha sido violada.

A mesma fonte revelou que o homem as agredia frequentemente e que uma vez já as tinha levado para a floresta ameaçando que as matava.

CM