A Polícia da República de Moçambique (PRM) capturou, fim-de-semana, o motorista da ambulância que, na noite de quinta-feira última, despistou e capotou, causando a morte de duas pessoas na cidade de Chimoio, província de Manica.

As vítimas são uma paciente que seguia ao Hospital Provincial de Manica, para receber cuidados médicos, e sua acompanhante. A paciente estava a ser transportada para o hospital depois de ter sido picada por uma serpente no distrito de Vanduzi.

O porta-voz da PRM, em Manica, Mateus Mindú, citado pela AIM, anunciou que o motorista foi capturado no distrito de Vanduzi, onde se havia refugiado depois do acidente.

“Depois o sinistro, ele fugiu para lugar incerto. Mais tarde ouvimos que estava em Vanduzi. A polícia fez diligências e conseguiu capturá-lo. Quanto interrogado, disse que ficou com medo de se apresentar voluntariamente a polícia”, explicou Mindú que falava esta segunda-feira durante o habitual briefing à imprensa.

O porta-voz da polícia disse igualmente que já foi lavrado um processo-crime e garantiu que o motorista será levado ao tribunal.

“Foi aberto um processo e ele vai ser levado ao tribunal. Estamos perante um crime homicídio involuntário. O que estamos a pensar é que houve alguma negligência por parte do motorista. Excesso de velocidade pode ter sido a provável causa do acidente”, acrescentou Mindu.

Sobre outras ocorrências da semana passada, Mindú explicou que a PRM neutralizou dois malfeitores que, semana anterior, assassinaram um guarda no distrito de Gondola.

“Os dois estão detidos nas celas do comando distrital de Gondola. Pensamos que são os mesmos que mataram um guarda da Empresa de Moçambique (EDM) e roubaram sete mil meticais”.

Durante a operação, a PRM recuperou duas armas de fogo que eram usadas pelos malfeitores para assaltar residências na província de Manica. No mesmo distrito, a corporação deteve um indivíduo indiciado pelo crime de porte ilegal de arma de fogo.

“Em Gondola são três detidos. Dois são os que assassinaram o guarda. Na posse desses foram encontradas duas armas. O terceiro cidadão foi por posse ilegal de arma de fogo. Também esta nas celas. Todos já têm processos. Acreditamos que nos próximos dias serão entregue ao ministério público”, explicou.

Folha de Maputo