A Inspecção Nacional das Actividades Económicas de Moçambique (INAE) apreendeu, na última semana, 55 toneladas de derivados de carne suspeitos de contaminação com listeriose, disse na segunda-feira à Lusa fonte da instituição.

As autoridades de saúde moçambicanas recomendaram no dia 5 a eliminação de carnes processadas como salsichas e outros enchidos provenientes de fábricas na África do Sul das marcas Enterprise e Rainbow Chicken Limited, na sequência do surto de listeriose naquele país.

Em comunicado, o Governo moçambicano referiu que a bactéria tinha sido identificada e isolada nas carnes oriundas daquelas unidades de produção.

Segundo fonte da INAE, das 55 toneladas, cinco foram apreendidas em supermercados das cidades de Maputo e Matola e as restantes são oriundas do resto do país.

O processo de apreensão continua e os produtos, que estão a ser armazenados em locais isolados, serão incinerados numa data a anunciar.

A listeriose é particularmente perigosa para grupos de alto risco como mulheres grávidas, bebés, idosos com mais de 65 anos e doentes crónicos com o sistema imunitário fraco. Na África do Sul, o surto de Listeriose já matou 180 pessoas.

Observador