Supostos homens do braço armado da Renamo, principal partido de oposição, atacaram na segunda-feira um comboio da mineradora brasileira Vale, na província de Sofala, centro de Moçambique, ferindo uma pessoa, informou a Polícia da República de Moçambique (PRM).

Segundo o comandante da PRM em Sofala, Alfredo Mussa, citado hoje pelo Notícias, o ataque ocorreu no distrito de Cheringoma, na linha férrea de Sena, quando o comboio se dirigia ao distrito de Moatize, província de Tete, centro do país, onde a Vale é concessionária de uma mina de carvão.

Durante o ataque, que o comandante da PRM em Sofala atribuiu aos homens armados da Renamo, em declarações ao jornal, o ajudante do maquinista ficou ferido devido à queda de estilhaços de vidro do para-brisas.

Fontes citadas pelo Notícias contaram que, mesmo com o para-brisas destruído, o comboio seguiu viagem até Moatize.

Alfredo Mussa disse que as Forças de Defesa e Segurança que estão na região foram de imediato mobilizadas e decorrem operações para a captura dos autores do incidente.

Moçambique tem conhecido um agravamento dos confrontos entre as forças de defesa e segurança e o braço armado da Renamo, além de acusações mútuas de raptos e assassínios de militantes dos dois lados.

A polícia moçambicana responsabiliza a Renamo por emboscadas a viaturas civis em vários troços da principal estrada do país, na região centro.

O principal partido da oposição recusa-se a aceitar os resultados das eleições gerais de 2014, ameaçando governar em seis províncias onde reivindica vitória no escrutínio.

As delegações do Governo moçambicano e da Renamo voltaram a reunir-se na quinta-feira da semana passada, pela terceira vez, desde a retomada de conversações entre as duas partes no final do mês passado, visando preparar as condições de um encontro entre Filipe Nyusi, e o líder da Renamo, Afonso Dhlakama.

As duas partes anunciaram recentemente ter chegado a consenso sobre a proposta de agenda e os termos de referência do encontro, mas não adiantaram pormenores sobre o conteúdo do entendimento.

Notícias ao Minuto