A esquizofrenia, uma perturbação mental crónica que afecta mais de 21 milhões de pessoas no mundo, de acordo com a OMS, foi a doença escolhida para constituir o lema do Dia Mundial da Saúde Mental, que se celebra esta sexta-feira, 10 de Outubro.

Em Moçambique, segundo a Serena Chachauio, Directora do Hospital Psiquiátrico de Infulene, esta perturbação mental é a que mais afecta a população, sendo que as mulheres são as mais vulneráveis.

“A primeira causa de internamento, no que diz respeito às doenças mentais, é a esquizofrenia. Em Moçambique, podemos dizer, que cinco por cento da população que nos procura é por esquizofrenia”, avançou a fonte que acrescentou que esta perturbação constitui uma preocupação global.

A unidade de referência a nível nacional no que diz respeito às doenças mentais, é o Hospital Psiquiátrico de Infulene, conta com 135 doentes internados, sendo a maior parte a camada masculina que padece de perturbações mentais provocadas pelo uso de substâncias psico-activas.

Para além da esquizofrenia, àquela unidade sanitária atende pacientes com depressão, epilepsia e perturbações mentais por causas orgânicas, que é a segunda causa de internamento.

Judite2

A fonte referiu que as doenças mentais já constituem grande peso em termos de atendimento nas unidades sanitárias tendo salientado que era preciso afastar o estigma de que as pessoas que tenham esquizofrenia devem ser isoladas, pois “ se esta perturbação for diagnosticada precocemente e dado o devido acompanhamento, o indivíduo que manifeste características desta patologia poderá trabalhar e conviver normalmente”, referiu Serena Chachauio.

A esquizofrenia é uma perturbação mental crónica e as pessoas que desenvolvem esta perturbação vivem muito menos do que a população em geral, de acordo com a agência da ONU.

A expectativa de vida dos que sofrem de doenças mentais severas é de 10 a 25 anos mais baixa do que a das pessoas que não tem o problema.

O Dia Mundial da Saúde Mental foi instituído pela OMS com o propósito de chamar a atenção pública para a questão da saúde mental global e identificá-la como uma causa comum a todos os povos.

Este ano, a nível mundial, a data é comemorada sob o lema “Vivendo com esquizofrenia”.

No país, as cerimónias centrais decorreram no Hospital Psiquiátrico de Infulene, na cidade de Maputo, tendo contado com diversas actividades, entre as quais, ginástica, feira de saúde e exposição.