Operadores turísticos e outros quadros do sector na região sul do país estiveram reunidos da semana passada numa das estâncias do sector na capital provincial de Gaza, Xai-Xai no encontro destinado a debater sobre a contribuição do turismo doméstico no desenvolvimento local.

Tratou-se de um encontro durante o qual os diversos actores do sector deram propostas de plano de acção e estratégias conjuntas para a promoção e massificação do turismo doméstico na região sul do país.

Com as referidas contribuições, de acordo com Arlindo Langa, Director Nacional de Planificação e Relações Exteriores no Ministério do Turismo, foi dado um importante contributo para que, localmente, as comunidades posam, doravante, tirar vantagens da prática de turismo feita por cidadãos nacionais e cuja valorização não tem vindo a ser uma prática por se conceber apenas o turista estrangeiro como protagonista.

O encontro, ainda de acordo com o nosso entrevistado serviu, igualmente, para fazer uma abordagem dos principais entraves enfrentados pelos moçambicanos no acesso aos produtos turísticos, pelo facto de uma grande parte da procura resultar dos interesses estrangeiros e não nacionais.

” O papel das agências de viagem na promoção do turismo interno é, sobremaneira, determinante para fazer com que os destinos turísticos sejam ampla e plenamente conhecidos”, disse.

A ocasião foi, por outro lado, usada pelos académicos para uma dissertação sobre a prática do turismo e as mudanças climáticas e defesa ambiental, onde a acção do Homem é, sem dúvidas, crucial tendo em conta que para a preservação do ambiente se mostra cada vez mais exigente que os operadores turísticos devem instalar os seus ambientes sem agredir a natureza.

As comunidades, segundo a nossa fonte, é chamada a abandonar a prática de queimadas descontroladas, para além da atenção redobrada e combinada que deve ser assumida pelos diversos intervenientes para que se coloque ponto final às dizimação de espécies protagonizada pelos caçadores furtivos nas reservas faunísticas e florestais em toda a região sul do país.

Ainda de acordo com Arlindo Langa, a sociedade é chamada a fazer uma reflexão profunda sobre a necessidade de se contribuir na divulgação de locais de interesse histórico e cultural.

“Ficou claro durante o nosso encontro que a região sul do país é detentora de um enorme potencial turístico”, disse o nosso entrevistado.