Apesar da existência de um enorme potencial para o desenvolvimento do turismo em Gaza, designadamente a predominância de áreas de conservação faunística, praias, inúmeras dunas na sua zona costeira, o sector tem estado a contribuir muito pouco na produção global de receitas na província.

Este sentimento foi manifestado sexta-feira última, na Praia de Xai-Xai, por Beirão, em representação do governador de Gaza, na cerimónia que marcou a passagem do dia mundial do turismo.

Segundo aquele governante o posicionamento do sector do Turismo deve constituir preocupação de todos os intervenientes, tendo em conta o facto de as potencialidades localmente disponíveis, exigirem do sector uma maior contribuição.

“O convite está lançado para que de forma individual ou colectiva se faça uma profunda reflexão de forma a se levar o turismo, a ocupar o lugar que merece, tendo em conta as potencialidades existentes na província,” disse Paulo Beirão.

Segundo ele, a outra reflexão que deve ser feita pelo sector do turismo, é a de se caminhar para a busca de mais alternativas para que esta actividade seja acessível a mais moçambicanos, através da oferta de produtos e serviços a preços acessíveis para a maioria da população, para além de se capitalizar a relação intrínseca entre o património histórico – cultural com o desenvolvimento da indústria turística.

A existência de zonas como Nwadjahane, Chilembene, Chaimite, Coolela,Magul, entre outras denominadas património histórico -cultural, fazem de Gaza, local de atracção turística por excelência.

De acordo com Paulo Beirão, os locais históricos devem ser fontes de captação de receitas para a sua manutenção e benefício para as comunidades, havendo para tal necessidade de todos os actores ligados ao Turismo em Gaza, se assumirem como verdadeiros defensores desta iniciativa.

De referir que a celebração do dia mundial do Turismo em Gaza, contou com a realização de diversas actividades de carácter cultural e de recreação em diversos pontos da província.