Foi lançado, esta terça-feira (04), na cidade de Nampula, um Plano de Desenvolvimento Territorial com o intuito de requalificar a província e determinar as áreas de lazer, industriais, agrícolas, habitacionais, comerciais, dentre outros serviços.

A requalificação da província de Nampula, segundo o Ministério para Coordenação da Acção Ambiental (MICOA), deve-se ao fluxo de investimentos estrangeiros que de há uns tempos para cá são notáveis naquele ponto do território moçambicano, sem no entanto haver uma indicação criteriosa dos locais para a instalação dos empreendimentos resultantes desse ganho.

A vice-ministra do MICOA, Ana Chichava, disse que o plano em alusão vai diminuir os assentamentos informais que têm vindo a crescer em Nampula. “Temos relatos de conflitos de terra entre os populares e as autoridades governamentais porque, por um lado, há falta de ordenamento e, por outro, há falta de comunicação entre as partes. Queremos com este projecto ultrapassar esse problema”.

O Plano de Desenvolvimento Territorial vai obedecer a outros programas previstos para a preservação dos recursos naturais, hídricos, florestais e ambientais. Segundo a governante, algumas famílias que se encontram nas zonas abrangidas pelo plano serão indemnizadas.

Por seu turno, a governadora de Nampula, Cidália Chaúque, disse que os investimentos que têm sido alocados aos distritos de Nacala-Porto, Angoche e Moma ditaram também a necessidade de requalificação da província.

A verdade