Taxas de juro devem ser reduzidas em Moçambique
As taxas de juro praticadas em Moçambique dispõem de espaço para virem a reduzir-se a fim de garantir mais financiamento ao sector privado sem que tal afecte a competitividade e a estabilidade do mercado, afirmou o administrador do Banco de Moçambique Valdemar de Sousa.

O banco central cobra actualmente uma taxa de juro aos bancos comerciais de 11,5% ao abrigo da facilidade permanente de cedência de liquidez e a banca comercial concedia, até Junho passado, empréstimos a um ano à taxa de 22,45% e remunerava os depósitos igualmente a um ano à taxa de 13%.

Citado pelo diário Notícias, de Maputo, o administrador e porta-voz do Banco de Moçambique disse que apesar da instituição financeira ter continuado a relaxar a sua política monetária no segundo trimestre deste ano, as taxas de juro a retalho não tiveram uma redução esperada.

As medidas tomadas pela Comissão de Política Monetária tinham como objectivo garantir uma evolução favorável dos principais indicadores económicos e financeiros da conjuntura interna, com destaque para a tendência a curto e médio prazos da inflação e de outros indicadores macro-económicos, incluindo os factores de risco prevalecentes na economia doméstica.

Por outro lado, a redução das taxas de juro de intervenção no mercado interbancário tem vindo a ser acompanhada por uma desaceleração das demais taxas no mercado monetário interbancário, como são os casos das taxas de juro dos leilões dos bilhetes de tesouro para as maturidades 91, 182 e 364 dias, bem como da taxa de juro média das permutas de liquidez entre as instituições de crédito do mercado primário.