A Sociedade Interbancária de Moçambique (Simo) vai ser uma realidade não obstante os atrasos registados na sua entrada em funcionamento, garantiu em Maputo o administrador e porta-voz do Banco de Moçambique Valdemar de Sousa.

Citado pelo matutino Notícias, de Maputo, o administrador disse estar em curso a interligação da rede dos bancos comerciais que operam no país numa rede única sendo possível prever que a Simo entre em funcionamento ainda este ano.

A Simo foi lançado em Junho de 2011 com o objectivo de reduzir os custos de transacções financeiras, através de um programa tecnológico de unificação do sistema electrónico dos bancos comerciais.

A Sociedade Interbancária de Moçambique, uma empresa participada pelo Banco de Moçambique em 51% e pelos bancos comerciais com 49%, consiste na partilha de ATM (“automated teller machines”) e POS (“points of sale”) dos bancos comerciais, sem que isso implique perda de rendimento para as instituições e os clientes possam aceder a esses serviços a custos mais baixos.

A ideia de criação da Simo ganhou uma maior dinâmica em 2008, quando o Banco de Moçambique contratou uma empresa para o assessorar no processo, com o objectivo de avaliar a situação da máquina económica em Moçambique e apurar as principais formas de tomar uma direcção em que os bancos, em conjunto, pudessem criar um mecanismo em que o cidadão pudesse ter melhor acesso aos serviços bancários.

Actualmente, operam em Moçambique 17 instituições bancárias, a maioria das quais com capitais portugueses.