Guebuza convida britânicos para mais negócios

O Presidente Armando Guebuza destacou em Londres a abertura de Moçambique para negócios britânicos no decorrer de um jantar que teve em vista promover a imagem do país junto dos parlamentares britânicos.

Na ocasião, o Chefe do Estado referiu-se às descobertas de areias pesadas, carvão, gás natural e outros minérios, que nas suas palavras são cruciais na agenda de desenvolvimento.

Guebuza, que foi recebido quinta-feira na Câmara dos Lordes por Lord Hughes e encaminhado para a “Attle Room”, salientou o facto de Moçambique ter iniciado o processo de adesão à Iniciativa de Transparência da Indústria Extractiva, o que explica a ênfase que o Governo dá ao uso destes recursos para a industrialização do país e consequente desenvolvimento.

Acompanhado pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Oldemiro Balói, Guebuza alertou para o facto de a descoberta desses recursos “não nos desviar das actividades sociais e económicas que têm mantido Moçambique num ritmo de crescimento estimado em 7 por cento ao ano há mais de uma década”.

Salientou o facto de diversas companhias britânicas “se terem juntado a nós nestes empreendimentos ao lado de outras de todo o mundo e, obviamente, também de Moçambique”.

“O ponto que estamos tentando enfatizar é que Moçambique está aberto e pronto para negócios”, afirmou Guebuza aos parlamentares, em jeito de convite.

O Presidente moçambicano garantiu que as políticas macroeconómicas, estratégias e programas adoptados pelo seu Governo permitem melhorar e ampliar constantemente “um ambiente propício para o investimento nacional e estrangeiro”.

Referiu-se à transparência das acções governativas com o papel do Parlamento moçambicano, do Tribunal Administrativo, da Inspecção Administrativa e Financeira e da Auditoria Interna, realçando também o papel do Observatório da Pobreza e dos “media” no envolvimento da sociedade civil e ainda o facto de no país se ter criado o Gabinete de Combate à Corrupção.

“À medida que avançamos, queremos vê-los como nossos parceiros nesta nobre tarefa de combate à pobreza e geração de um desenvolvimento sustentável”, disse o Presidente moçambicano, que endereçou um convite aos lordes para “visitarem Moçambique para verem, em primeira mão, os progressos que fizemos e os desafios que estamos enfrentando”.

No mesmo dia (quinta-feira), o Chefe do Estado moçambicano concedeu uma entrevista à jornalista Sophie Ikenye da BBC, cujas instalações visitou na companhia do anfitrião, Peter Harrocks, director dos Serviços de Notícias do Mundo, antes de seguir para o Imperial College, onde foi recebido por Eduard Astle, Vice-Reitor daquela instituição de Ensino Superior que Armando Guebuza frequentou, e ainda pelos professores Jan Cilliers e Jonathan Weber.