Neste momento, cerca de 44 por cento das crianças moçambicanas sofrem de desnutrição crónica.

Professores moçambicanos do ensino primário serão formados em matéria de nutrição como forma de diminuir os índices elevados de desnutrição crónica que, neste momento, afectam grande parte das crianças no país. Para o efeito, o Ministério da Educação e a Nestle Lda assinaram, ontem, um memorando de entendimento no qual a Nestle se compromete a abraçar o projecto de formação de professores.  Neste momento, cerca de 44 por cento das crianças moçambicanas sofrem de desnutrição crónica, sendo que, na província de Cabo Delgado, o número sobe para 59 por cento.
De acordo com o relatório Pobreza Infantil e Disparidades em Moçambique, a mais alta taxa de desnutrição crónica regista-se na província de Cabo Delgado, onde 59 por cento dos menores enfrentam este problema. O Ministério da Educação acredita que formando os professores sobre os bons hábitos alimentares estes podem servir de transmissores desses hábitos, eliminando, desta forma, este mal.