Sociedade Reassentamento das vítimas da lixeira de Hulene quase concluído

Reassentamento das vítimas da lixeira de Hulene quase concluído

Receba atualizações de trabalhos do MMO Emprego

Siga o nosso canal do Whatsapp para receber atualizações diárias anúncios de vagas.

Clique aqui para seguir

O processo de reassentamento das famílias afetadas pelo desabamento da lixeira de Hulene está perto de ser concluído, com a entrega de mais 50 casas em Possulane, no município de Marracuene.

No entanto, ainda há falta de serviços sociais básicos na área de reassentamento, uma preocupação que as autoridades locais se comprometem a resolver.

Passaram-se seis anos desde a tragédia que resultou na morte de 17 pessoas e ferimentos em mais de duzentas outras em Hulene, quando a lixeira desabou. O governo retirou 275 famílias da zona afetada e prometeu fornecer novas habitações.

Desde 2018, foram construídas 209 casas em Possulane, Marracuene, na província de Maputo, com 159 já entregues até à data. Nesta segunda-feira, mais 50 casas foram entregues pelo presidente do Conselho Municipal da Cidade de Maputo, Rasaque Manhique. Ele destacou a qualidade das casas e a necessidade de garantir outros serviços básicos na área de reassentamento, como escolas, hospitais e postos policiais.

Os beneficiários do projeto expressaram satisfação por receberem as suas casas, mas comprometeram-se a continuar a interagir com as autoridades municipais até que todas as casas prometidas sejam entregues. Cada uma das casas do tipo 3 custou cerca de um milhão e trezentos mil meticais.

É importante mencionar que, mensalmente, as vítimas do desabamento da lixeira de Hulene têm protestado contra a falta de pagamento do subsídio de renda das casas alugadas onde vivem. As famílias também relataram casos de despejo por parte dos proprietários das habitações.