Início Sociedade INGD vai beneficiar cerca de 400 salas de aula em Inhambane

INGD vai beneficiar cerca de 400 salas de aula em Inhambane

Perto de 400 salas de aula vão beneficiar de intervenção do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD), na província de Inhambane, no quadro do reforço da resiliência às infra-estruturas vulneráveis aos fenómenos naturais.

A acção insere-se no plano nacional de reconstrução e reforço de cerca de três mil salas de aula, num orçamento avaliado em cerca de 132.27 milhões de dólares.

O anúncio da reconstrução de infra-estruturas do sector de Educação foi feito semana finda pelo delgado do INGD, em Inhambane, Cândido Mapute, no decurso de uma sessão do Comité Operativo de Emergência Provincial (COE Provincial).

Mapute explicou que o plano está constituído por duas componentes, sendo a primeira designada programa por resultados e a outra ligada à assistência técnica, iniciada em Março de 2019, com o término previsto para 30 de Julho de 2024.

Uma outra fase contempla a construção de infra-estruturas resilientes às alterações climáticas nas zonas propensas a riscos e desastres naturais, como os distritos de Inhassoro, Vilankulo, Panda, Funhalouro, Govuro e Mabote.

Entretanto, a Secretária de Estado na província de Inhambane, Ludmila Maguni, manifestou-se indignada pela forma como o processo será gerido a nível central, numa altura que se aposta na descentralização para facilitar a execução de projectos locais.

Para sustentar a sua indignação, Ludmila Maguni falou do caso em que uma empresa ganhou o concurso nacional para a construção e reabilitação de sanitários e sistemas de abastecimento de água nas escolas, visando a garantia da retoma segura das aulas presenciais.

Segundo explicou, a empresa seleccionada a nível central não consultou o sector provincial de Educação, muito menos os órgãos de governação descentralizada sobre as reais necessidades que a província tinha, para além da morosidade na conclusão das obras.

A mesma opinião foi manifestada pelo governador da província, Daniel Chapo, que  defendeu ser tarefa dos órgãos locais acompanhar o processo de planificação dos projectos locais e a sua implementação.

FONTEJornal Notícias
Artigo anteriorHomem é condenado a 8 meses de prisão por ataque ao Capitólio dos EUA
Próximo artigoINCM vai limitar os bônus nas recarregas de telefonia móvel