A Administração do Parque Nacional do Arquipélago do Bazaruto (PNAB), a maior área de conservação marinha do país registou, no ano passado, uma redução de casos de pesca ilegal em cerca de metade quando comparado ao registado de 2019.

A redução de casos neste arquipélago partilhado pelos distritos de Inhassoro e Vilankulo, a norte de Inhambane, rondou aos 47,5 por cento, o que corresponde a 85 ocorrências contra os 162, de 2019.Segundo o chefe de Protecção e Fiscalização do PNAB, Tomás Chibale, o facto deveu-se à fixação de bóias que sinalizam e delimitam a área de conservação, assim como ao aumento de meios materiais e humanos.

”Há um trabalho de fiscalização conjunto realizado pela Marinha de Guerra, fiscais do parque e a Polícia lacustre. Essa equipa tem garantido, dia e noite, a protecção da área de conservação”, disse Chibale, citado pela AIM.

O chefe de Protecção e Fiscalização do PNAB frisou que, para além de efectuar detecções, tem também sensibilizado os visados, explicando-os que o Governo não está contra os pescadores que a medida visa garantir a continuidade das espécies para gerações vindouras.

Ainda segundo a fonte foram instaurados, no período em alusão, diversos processos criminais, administrativos e disciplinares aos indivíduos envolvidos na pesca ilegal no parque. “Esses indivíduos estão a contas com as autoridades.

Outros foram detidos, outros respondem em liberdade e há os que foram sensibilizados e punidos de acordo com a infracção cometida”, afirmou.

Na sequência da intensificação das acções de fiscalização, as autoridades apreenderam 25 barcos usados na pesca ilegal em 2020. No ano anterior tinham sido apreendidos quatro.

O Parque Nacional do Bazaruto foi a primeira área de conservação marinha do país. Foi criado em 1971, abrangendo as ilhas Benguérua, Magaruque e Bangué, com uma área total de 80 km². Na altura, as ilhas Bazaruto e Santa Carolina tinham o estatuto de Áreas de Vigilância Especial.

Mas, em 2001, esta área protegida foi alargada, passando a englobar as cinco ilhas e recebendo a nova denominação, com uma área total de 1430 km².