A União Europeia (UE) garantiu 25 milhões de Euros para a assistência humanitária a cerca de 300 mil pessoas deslocadas pela acção do terrorismo que afecta a região norte da província de Cabo Delgado.

O valor faz parte de um total de 50 milhões de euros que os países da Europa comunitária destinarão a Moçambique, no quadro do apoio ao desenvolvimento da região norte do país.

O anúncio do valor foi feito pelo representante da UE em Moçambique, o Embaixador António Sanchez-Benedito Gaspar, no final de uma reunião de trabalho que juntou diplomatas de países europeus e do Governo moçambicano e da direcção da Agência do Desenvolvimento do Norte (ADIN).

“Nós como União Europeia estamos agora a começar um novo ciclo de programação da nossa ajuda ao desenvolvimento, no qual Cabo Delgado vai ocupar um lugar central” disse o Embaixador Sanchez Benedito.

Na reunião que, a delegação moçambicana era liderada pelo Ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia, as partes trocaram informações e alinhamentos sobre a estratégia de actuação, sobretudo, ao nível da ADIN.

“Estivemos aqui discutir e a partilhar informações relevantes para construirmos uma estratégia coerente e que responda àquilo que são os desafios da região norte do país. Este é o trabalho que temos estado a fazer e hoje demos mais um passo” explicou Celso Correia.

O ministro destacou o papel da UE e realçou que aquele bloco é um parceiro importante e estratégico para o país.