A Associação Moçambicana dos Magistrados do Ministério Público está preocupada com a insegurança dos seus associados que muitas vezes ficam sujeitos a ameaças, sobretudo quando estão a tramitar processos considerados complexos.

A agremiação que por outro lado, afirma-se não abalada com as intimidações aponta a cidade de Maputo como a que apresenta maior número de casos de ameaças aos magistrados.

A Associação Moçambicana dos Magistrados do Ministério Público reuniu-se com os seus associados em Nampula, para colher as suas contribuições. A agremiação reconhece existir protecção, mas defende que se pode fazer mais, sobretudo quando se está tramitar processos complexos.

Eduardo Sumana, presidente da associação revelou algumas situações de ameaças encaminhadas a agremiação. Sumana avança que os magistrados não estão abalados com as intimidações, mas ainda assim espera que as entidades competentes sejam sensíveis a preocupação.

A associação realiza em Dezembro próximo a eleição para escolha do novo corpo directivo.

O País